Contacto -: +239  9936802 9952092 transparencia.st@hotmail.com  -

 

 

Empresa EGECON constrói obras megalómanas

 

em São Tomé e Príncipe

 

23.11.2021 - A Empresa EGECON, do do empresário João Cardoso, especializada em Construção e Obras Públicas de referência, que opera na área de construção e habitação em São Tomé e Príncipe, com uma forte presença no mercado são-tomense, a qual já construiu várias infra-estruturas megalómanas no país, contando igualmente com um vasto currículo de projectos realizados, e é reconhecida como uma das melhores empresas.


Esta empresa já construiu grandes infra-estruturas como, novo edifício do Banco Central de São Tomé e Príncipe, Tribunal de Contas, Tribunal Constitucional, Liceu de Neves no distrito de Lembá, construção de uma fábrica de óleo de palmas na Ribeira Peixe, ao sul de São Tomé, ente outras obras concluída dentro do prazo estipulado.


EGECON, tem como missão contribuir para o desenvolvimento das pessoas e áreas geográficas onde actuam, através da gestão de projectos de engenharia, serviços e produtos integrados na habilidade de construção civil e obras públicas.
 

O sucesso desta empresa deve-se também à utilização quase exclusiva de ligações metálicas aparafusadas e de elementos construtivos de peso próprio reduzido. No mercado são-tomense, há cerca de vinte e dois anos, a sede da empresa encontra-se localizada em Bôbô Forro São Tomé, mas presente no distrito de Me-zóchi, gerando emprego para 322 trabalhadores.

 

De informar que João Cardoso, chegou São Tomé em 10 Dezembro de 1974 para fazer uma obra subcontratada com uma empresa francesa, a Fillod. A qual pensou ficar para sempre. Tinha então mais de uma década de experiência profissional na construção civil, em França, onde chegou em Abril de 1964, João Cardoso, nascido em 1946, em Cascais.

 

A sua experiência nos armazéns Pinto Basto, no Cais Sodré, em Lisboa, abriu-lhe portas sem dificuldade. Passou por várias empresas, João Cardoso começou a trabalhar nas obras, e depressa chegou a chefe de equipa, e era responsável por cerca de 20 pessoas.


A reputação que construiu tornou-o colaborador importante para as construtoras francesas na época forte da cooperação gaulesa com o arquipélago de São Tomé, pai de seis filhos, um dos quais de mãe são-tomense.
Recorda a primeira empresa que criou no arquipélago, sob a sigla francesa: EGM, em que EG significam Empresa Geral e o (M) é sinónimo de minuserie (carpintaria).

 

Hoje, é proprietário de um universo de empresas, em que se destaca a Egecon, como sempre, na área da construção, bem como BATIMAT, extração de areia e transporte marítima para Região Autónoma do Príncipe com cerca de 400 toneladas.

 

Por João Soares

 

 

 

 

Diário de São Tomé e Príncipe - Jornal Transparência | Todo Direito reservado | Rua 3 de Fevereiro - São Tomé | 

 São Tomé e Príncipe | transparencia.st@hotmail.com - (00239) - 9936802 - 9952092 - Webmaster JS 


Ir ao top^