Contacto -: +239  9936802 9952092 transparencia.st@hotmail.com  -

 

IVA chega a São Tomé e Príncipe

em 2018

IVA chega a São Tomé em 2018

JT: 26.08.2016 - Três especialistas em matéria fiscal do Fundo Monetário Internacional (FMI) encontram-se em São Tomé para ajudar o governo a fazer os estudos necessários "para que o IVA entre efectivamente em acção".

O governo são-tomense vai introduzir o IVA (Imposto de Valor Acrescentado) no ordenamento jurídico fiscal do arquipélago a partir de Janeiro de 2018, anunciou esta quinta-feira, 25 de Agosto, o director dos impostos, Olinto Costa. 

"Pensávamos que em 2017 as condições estariam, criadas para a implementação do IVA, mas tendo em conta a sua complexidade, provavelmente Janeiro de 2018, estando as condições criadas, teremos o IVA em São Tomé", disse o director de impostos. 

O anúncio foi feito no final de uma reunião entre os responsáveis de vários sectores do Estado, destinado a explicar "os benefícios e as necessidades" da aplicação desse imposto pela primeira vez em São Tomé e Príncipe. 

"No ano passado nós tornámos público a intenção do governo de introduzir o IVA no ordenamento jurídico fiscal são-tomense. De lá para aqui temos feito expedientes suficientes para que logo que as condições estiverem reunidas, o IVA seja implementado", sublinhou Olinto Costa.

Três especialistas em matéria fiscal do Fundo Monetário Internacional (FMI) encontram-se em São Tomé para ajudar o governo a fazer os estudos necessários "para que o IVA entre efectivamente em acção".

"Dada a sua localização estratégica, importa que um país como São Tomé e Príncipe também tenha IVA", acrescentou Olinto Costa

Ricardo Varsano, representante do FMI defende que o IVA é hoje um imposto usado por 160 países do mundo e que visa, no caso de São Tomé e Príncipe "substituir esses impostos ao consumo e também algumas das incidências sobre o imposto de selo".

Explica ainda que o IVA "facilitará o crescimento económico porque não incide sobre o investimento em geral".

"O investimento ficaria mais barato e as pessoas gostariam mais de investir no país do que actualmente e além disso é um imposto que pode gerar uma boa arrecadação e o governo precisa disso para construir infraestruturas e também para caçoes sociais", sublinhou o representante do FMI.

Fonte: Jornal de Negócios

 

 

 

 

 

Publicidade


Hotel Praia


Pensão Turística Elitineide


 
 

 

 
 
 
 

Diário de São Tomé e Príncipe - Jornal Transparência | Todo Direito reservado | Rua 3 de Fevereiro - São Tomé | 

São Tomé e Príncipe | transparencia.st@hotmail.com - (00239) - 9936802 - 9952092 - Webmaster JS


Ir ao top^